Concluir Etapas

Concluir Etapas

Nos dias de hoje, é muito comum ver pessoas deixando coisas que “ainda” não deram certo para seguir em frente, buscando outras que deem. Esse desapego não é todo ruim, mas também, é importante dizer que não é todo bom.

 Vivemos em um período em que as relações são frágeis, os sentimentos são frágeis, o intelecto muito pouco desenvolvido e o culto ao corpo cada vez mais exaltado. É o momento do agora, e somente o agora. Não importa o que vai acontecer, não importa quem eu vou magoar, não importa se vou ferir alguém, o que importa mesmo é o meu próprio prazer.

 É claro que isso é velado, pois não é politicamente certo dizer tudo o que se pensa, afinal, o que vão pensar de mim? Como as pessoas me verão? Como eu realmente sou? Não.. Não dá… Então preparamos nossos discursos politicamente corretos, vestímo-nos deles e vamos à rua, afinal, o agora é o mais importante… e ser visto como alguém politicamente ativo e correto é fundamental para conseguir “pegar todas” ou “todos”.

 O resultado disso é sentido imediatamente, pois as pessoas que estão à nossa volta, verdadeiramente não estão, os amigos, bem, os amigos não são nossos amigos, mas sim do que temos. São amigos dos nossos bens e do nosso status, se é que isso é um status.

 É importante concluirmos etapas. Se não vê mais sentido em uma relação, termine de forma digna, sem machucar ninguém. Se não vê mais sentido no trabalho que está desenvolvendo agora, então vá atrás de outro, mas enquanto estiver nesse, honre seu compromisso até o fim. Respeite os mais velhos, afinal, viveram mais que você e, mesmo que pareçam antiquados, são mais velhos e isso já é o suficiente para serem respeitados. Respeitem os mais novos, é bem provável que eles estão se espelhando em você para a definição de seu próprio caráter.

 Ninguém vive sozinho, ninguém é suficientemente capaz de viver sozinho.

O mundo não está à venda… as pessoas não devem se compradas, mesmo que se coloquem à venda.

 Pensa nisso! A lei do retorno está ai… Eu mesmo a experimento diariamente!

 E para terminar, deixo um pensamento de Einstein:

“Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, em relação ao universo, ainda não tenho certeza absoluta.” Albert Einstein

Luciano Santos

Psicólogo clínico, com vasta atuação em gestão de pessoas, liderança de equipe, gestão de projetos e processos humanos. Mestrando em psicanálise pela Universidad John Kennedy, em Buenos Aires - Argentina. Trabalhando à mais de 10 anos com desenvolvimento humano e potencialização de competências.

Deixe uma resposta

EnglishFrenchItalianPortugueseSpanish